Aproveite

Central de Atendimento:

(11) 3586-2484   (11) 94720-4702 

Carrinho

0

Ticaloka Blog

Os cinco principais mitos do cosmético natural

01/02/2017 14:10

Os cinco principais mitos do cosmético natural

COSMÉTICO NATURAL

A onda do faça você mesmo tem invadido o mundo dos cosméticos e eu acho isso ótimo, pois estamos mostrando à grande indústria que não mais aceitamos colocar no nosso corpo componentes de origem duvidosa. Com isso o recado é claro, ou eles mudam suas práticas pouco comprometidas com o meio ambiente ou mudamos nós o nosso hábito de consumo.

O problema de começarmos a fazer tudo por conta própria é a falta de conhecimento adequado o que, em determinados casos, pode ser extremamente perigoso. Com tanta coisa absurda divulgada por aí, penso que daqui uns dias vamos ter que criar um aplicativo para checar se a pessoa continuou viva depois de usar algumas dessas receitas que estão circulando na rede. E isso não é exagero, leia até o final e você vai entender. 

Por isso, resolvi exercitar meu lado jornalístico e escrever esse post de utilidade pública listando os principais mitos disseminados na internet relacionados à prática da cosmética natural. E também porque, como divulgo sempre os tutoriais dos produtos que faço, me senti na obrigação de alertar para os riscos que corremos ao não tomar os cuidados necessários.

Lembrando que pesquisar alternativas mais saudáveis àquelas oferecidas no mercado é um hábito que deve e pode ser incentivado. Mas de nada irá adiantar se não for realizado de forma segura. Portanto, fique atento às seguintes informações que estão sendo bastante compartilhadas na internet.

1.Óleo essencial é conservante natural

A maior parte dos óleos essenciais possui alguma propriedade bactericida, mas eles sozinhos não têm o poder de preservar nenhum produto aquoso. Lembrando que tudo que contém água (e às vezes ate o que não contém) precisa ser conservado para não atrair bactérias.

Tenho visto muitas receitas de tônico facial e enxaguante bucal circulando na internet usando apenas água e óleos essenciais na sua formulação. Esse tipo de produto não é seguro para consumo, primeiro porque, como dito acima, tudo que contém água precisa ser devidamente preservado caso mantido fora da geladeira, e óleo essencial não é conservante.

Segundo, o óleo essencial não vai se misturar bem com a água o que nos leva ao terceiro fator, se você se esquecer de agitar bem essa solução antes de usá-la correrá o risco de aplicar de uma só vez todo o OE presente no produto, o que poderá causar, no mínimo,  uma forte irritação na pele.

cosmético natural

2.Cosmético natural é livre de conservantes

Com a polêmica dos parabenos disseminou-se na internet a ideia de que tudo o que leva conservante é prejudicial à saúde. Mas isso não é verdade, pelo contrário, um produto mal conservado pode acarretar sérios problemas, inclusive, levar à morte.

A necessidade do seu uso voltou à cena depois que cinco pessoas foram infectadas num hospital em Barcelona ao utilizar uma loção hidratante contaminada com uma bactéria extremamente perigosa chamada (B. cepacia). Saiba mais

O que tem ocorrido é que com a pressão dos consumidores para que as marcas adotem produtos mais ecológicos, as empresas têm buscado desenvolver conservantes não poluentes e menos agressivos do que aqueles comumente utilizados pela indústria.

As marcas de cosméticos naturais surgiram justamente dessa necessidade, mas como mostrado na matéria acima, é necessário muitos testes para garantir a eficácia desses conservantes.

3.Água desmineralizada não oferece risco de bactérias

Outro dia me deparei na minha timeline com um site especializado em assuntos naturais, que possui mais de 300 mil assinantes no facebook, divulgando uma receita de hidratante com cera de abelha, óleo e água desmineralizada. Segundo eles, isso evitaria o risco de contaminação por bactérias.

Como dito acima, apenas conservantes devidamente testados podem preservar um produto aquoso, e ainda sim, com muitas limitações, pois existem certos ingredientes que são extremamente difíceis de preservar. A água desmineralizada como o próprio nome sugere apenas é livre de minerais, o que não quer dizer que esteja livre do surgimento de bactérias.

Para se ter uma ideia, mesmo quando criamos uma loção contendo conservante na sua composição, nós costumamos ferver por 20 minutos a água desmineralizada para evitar ao máximo o risco de contaminação, ou seja, nunca em hipótese alguma utilize água nos seus produtos sem o uso de um conservante. O mesmo vale para vegetais frescos, hidrossol, leite, etc

cosmético natural livre de conservantes

4.Produtos não aquosos não precisam de conservante

Isso é parcialmente verdade, ao formular qualquer produto faça sempre essas perguntas. Como e que tipo de frasco irei usar e onde irei guardá-lo. Se você for utilizar ou manter o produto em qualquer lugar que exista o risco real de entrar em contato com água, então precisa usar conservante.

Tem sido comum na prática da cosmética artesanal fazer maquiagem sem o uso de conservantes, eu, inclusive, faço blush e sombras totalmente naturais, mas é preciso levar em conta alguns fatores: se é um frasco que quando aberto deixará o produto exposto, se será mantido no banheiro, ou seja, em ambiente úmido, como será usado (na pia perto da torneira e, portanto, correndo o risco de ter contato com água) e se vai ser posto à venda.

Quando manuseio minha maquiagem natural levo tudo isso em conta para evitar ao máximo o risco de contaminação. O mesmo vale para pasta de dente caseira e esfoliante. Se você costuma usar esfoliante na hora do banho, o que significa meter as mãos molhadas dentro do frasco e guardá-lo na prateleira do box, é obrigatório o uso de conservante.

protetor solar mineral

5.Você pode criar seu próprio protetor solar natural

E a fórmula é bem simples, basta um pouco de cera de abelhas, manteiga de karité,  óleo de coco e duas colheres de óxido de zinco com umas gotinhas de óleo essencial e voilá, você tem um protetor solar totalmente livre de tóxicos e super natural.

Com isso a gente percebe que a internet acabou não só com a necessidade do diploma jornalístico, mas também com o do químico. Afinal, para que fazer faculdade com tanto Professor Pardal por aí descobrindo a fórmula dos produtos sem a necessidade de utilizar o auxílio dos laboratórios?

Não sei o que é pior, alguém tem inventado esse boato que se espalhou rapidamente pela internet mundial ou a ingenuidade das pessoas que realmente acreditaram ser possível formular em casa um produto tão complexo e importante como esse.

A resposta é não, mil vezes não. Para início de conversa, o protetor solar não pertence à mesma classe dos cosméticos comuns. Para um produto como esse, que afirma proteger a pele dos danos dos raios solares, ser aprovado é necessário realizar vários testes de laboratório e depois em humanos antes de ser colocado à venda.

Não é simplesmente jogar umas colheres de óxido de zinco num hidratante como se fosse um confeiteiro que você estará livre de queimaduras do sol. Pelo contrário, estará colocando sua saúde em risco. Veja o que essa pesquisadora diz sobre o assunto aqui.

Outro boato diz que óleo de coco também fornece proteção solar natural. Isso também não é verdade. Saiba mais

A ONG EWG, que mantém uma escala de avaliação dos produtos seguros para consumo, recomenda o uso do protetor solar mineral com óxido de zinco e dióxido de titânio na sua formulação, mas desenvolvido por empresas competentes, a versão caseira definitivamente não vale a pena o risco. No mais, fica as mesmas dicas de sempre, usar chapéu  e evitar a exposição nos horários entre 10h e 16h.

Esses são os principais erros que tenho visto frequentemente serem disseminados na internet a respeito dos cosméticos naturais. Se você souber de mais algum, por favor, compartilhe com a gente.

Atualização

Depois que publiquei esse texto, muitas pessoas me procuraram para esclarecer uma série de dúvidas, o que me fez perceber que a listinha de mitos é bastante longa, viu colega. Vou atualizar aqui os que surgiram dessas conversas. E como toda lista, a minha também não é definitiva, por isso, SEMPRE PESQUISE antes de inventar qualquer formulação.

6. Vitamina E, óleo resina de alecrim e extrato de benjoim são conservantes

Nenhum desses três têm propriedades para conservar um produto aquoso, o máximo que eles podem fazer, nos dois primeiros casos, é evitar a decomposição das gorduras numa solução oleosa. Antioxidante não é o mesmo que conservante. Você pode usar o primeiro para aumentar o prazo de validade de um óleo, mas somente o segundo fornecerá proteção contra fungos, bactérias, etc.

Nunca use em uma formulação um conservante que não é vendido ou foi aprovado para atuar como tal.  E mais, sempre exija o laudo técnico do fornecedor comprovando os testes realizados e a porcentagem que deve ser respeitada. Preservar uma loção é realmente um desafio para os pesquisadores, tanto que a maioria usa um blend de conservantes para garantir uma proteção de amplo espectro, portanto, se você não possui familiaridade com certos ingredientes, evite fórmulas que exijam o seu uso.

7.  Se a sua loção não mudar de cor ou cheiro então ela está preservada

Aqui serei bem mais simples. Em 2014, quase passei a virada do ano internada num hospital da Chapada Diamantina. O motivo: infecção intestinal graças a um queijo contaminado. Ai você diz, “amiga, sua louca, você não percebeu que o queijo estava estragado”? Claro que não, estava uma delícia e a cor e o cheiro me pareciam absolutamente normais.  Entendeu o problema. O mesmo pode ocorrer com a sua loção, caso não esteja devidamente preservada.

Os organismos que causaram a minha internação e que desafiam tanta gente capacitada por aí não são conhecidos como seres microscópicos sem razão. Imagine a cena: você andando na rua, alguém passa e fala “olha que irado, uma bactéria tentando pegar aquele cara”. Para o bem ou para o mal, isso ainda não é possível. Por isso, não confie numa avaliação realizada a olho nu. Deixo aqui um link da Super Interessante para uma revisãozinha de biologia básica.

8. Ingrediente natural não causa alergia

Mentira, assim como a ingestão de determinados alimentos provoca alergia em algumas pessoas, é bastante provável que o mesmo aconteça com o seu uso tópico.  Já o contrário não é verdade. Você pode ter o hábito de ingerir com frequência um determinado alimento e ainda sim apresentar uma forte reação alérgica ao aplicá-lo no corpo. É o meu caso com a canela, por exemplo, inventei de fazer uma receita caseira para o cabelo e quase morri de coceira, sem contar o surgimento de caroços grandes e vermelhos nas costas e seios que demoraram quase um mês para desaparecer.

Por isso, sempre faça o teste de sensibilidade antes de utilizar qualquer receita caseira. ( Dica: Vocês já notaram que as maiores merdas sempre acontecem às vésperas de um evento importante ou de um encontro bafônico? então já sabe, nada de inovar antes do Carnaval, ou como foi o meu caso, do São João, se você não conhece qual será a reação na sua pele).

Fonte: http://ohshe.com.br

Posted in News By

Maria Alice Guedes




Mais Vendidos